Atletas da região são na destaque 26ª edição das Dez Milhas Garoto, no Espírito Santo

Foi disputada, na na manhã quente deste domingo (16), nas
cidades de Vitória e Vila Velha – ES, a 26ª Dez Milhas Garoto e 14ª Corrida Garotada, que registrou um recorde de inscrições: ao todo, 10 mil atletas
se inscreveram, 2 mil a mais do que no ano passado. Milhares de pessoas
se distribuíram ao longo dos 16,09 quilômetros do percurso da prova
para torcer e incentivar os corredores.

E entre esses 10 mil atletas, estavam três corredores da equipe Tirarunners, de Tiradentes, com destaque para Jonas Rocha, que conquistou uma excelente quinta colocação na categoria de 50 a 54 anos, com o tempo de 01:05:35, conquistando a 86º geral, entre os 10 mil atletas. Também da equipe Tirarunners, Cleider de Souza e Ernane também competiram e completaram a prova.

De São João del-Rei saiu a campeã na faixa etária 15 a 19 anos, Laura Silvério, que concluiu a prova com tempo de 01:34:23. Na Elite masculina, destaque para o são-joanense Glenison Gilbert, que ficou em 9ºlugar, com tempo de 52:10:17 minutos.

Recorde de participantes. 10 mil atletas

Prova foi dominada por Quenianos 

Giovanni dos Santos, 3º lugar, foi o 1º brasileiro a concluir a prova

Ainda não foi dessa vez que os atletas brasileiros conseguiram quebrar a
hegemonia estrangeira no pódio da Dez Milhas Garoto. Os vencedores da
26ª edição da prova foram dois atletas quenianos. 

Edwin Kipsang Rotich, na elite masculina, e Delvine Relin Meringor, na elite feminina, foram os primeiros a cruzar a linha de chegada, com os tempos de 47min42s e 54min50s, conquistando a premiação de R$ 10 mil e confirmando o favoritismo do país.

O domínio estrangeiro no pódio da Dez Milhas Garoto agora já dura
cinco anos na elite masculina e oito anos na elite feminina. O último
brasileiro a vencer a maior corrida de rua do Espírito Santo foi
Marilson dos Santos, em 2010, com o tempo de 47min45seg. De lá para cá,
quatro quenianos e um etíope ficaram com o título.

Na Elite feminina a última vitória do Brasil foi em 2007, com a paraibana Ednalva Laureano.
Depois disso, a prova, uma das mais tradicionais e importantes do
calendário nacional, teve somente campeãs estrangeiras, sendo sete do
Quênia e uma da Etiópia.

Informações e fotos jornal Folha Vitória.
 

Comente e compartilhe esta notícia no Facebook do Jornal Primeira Página!


Leave a Reply