Barrosense fatura 3º lugar em festival de música em Belo Horizonte

A barrosense Adriana Aielo participou, no domingo (30), das finais da 7ª edição do Festival Estadual SESI Música, evento que recebeu candidatos de todo o Estado de Minas Gerais, realizado às 17h, no Teatro SESIMINAS, em Belo Horizonte. Na bagagem de volta para Barroso, a cantora trouxe um excelente terceiro lugar na categoria Interpretação, em uma finalíssima que contou com talentosos concorrentes, todos trabalhadores da indústria mineira.

A escolha dos vencedores do Festival ficou a cargo de um júri composto por grandes nomes da cena musical. Durante a grande final, os artistas da indústria foram regidos por Fernando Muzzi e acompanhados por uma banda base, formada por reconhecidos músicos mineiros. Adriana trabalha na Vale Manganês, em Barbacena, o que a permitiu participar do festival.

Os candidatos classificados na Fase Final em 1º, 2º e 3º lugares, na Categoria 1 – Composição Inédita (compositores) e Categoria 2 – Interpretação (intérpretes) receberam, além dos troféus, prêmios em dinheiro. Adriana faturou R$ 3 mil pelo trabalho classificado em 3º lugar de sua categoria, interpretando a canção “Nada além de Ti”.

No centro da foto, usando vestido azul,
Adriana exibe a premiação do 3º lugar

Nas redes sociais, a barrosense manifestou sua alegria pela conquista. “Obrigada meu Deus por mais esta conquista, tudo para honra e glória do Senhor. Gostaria de agradecer a todos os que torceram por mim: minha família, minha torcida, vocês arrasaram, fiquei emocionada com o carinho de vocês, sou grata a todos”, escreveu a cantora, que aproveitou para parabenizar aos candidatos, desejando sucesso a cada um deles. Adriana também agradeceu à comissão organizadora do Festival e à banda que a acompanhou no concurso.

O Festival Estadual SESI Música é uma iniciativa que busca revelar justamente os novos talentos da indústria. De acordo com a organização do evento, antes da grande final, os candidatos participaram de oficinas, nas quais puderam aprimorar suas técnicas musicais. Os artistas industriários tiveram aulas de percepção corporal e de preparação vocal.

Para o gerente de cultura do SESI-MG, Thiago Maia, “foram 139 industriários inscritos, desses, apenas 43 chegaram à semifinal e passaram por oficinas, que são um diferencial ao cantar”, destaca ele, que revela que a experiência não apenas apresenta talentos, mas contribui na qualidade de vida e na economia brasileira. 

Fotos: Divulgação / Arquivo pessoal

Comente e compartilhe esta notícia no Facebook do Jornal Primeira Página!


Leave a Reply