Em maio começa a vacinação contra a febre aftosa

Nesta quarta-feira (15), o Instituto Mineiro de Agropecuária
(IMA) em Barroso repassou comunicado à Rádio Liberdade FM, com o objetivo de
informar aos produtores rurais que a primeira fase da campanha de vacinação do
gado contra a febre aftosa em 2015 começa no dia 1º de maio.

O setor reforça o lembrete de que todo o rebanho deve ser
vacinado na campanha, até mesmo os animais a partir de um dia de vida. Na
oportunidade, o IMA ainda destaca que todas as bezerras de três a oito meses
de idade devem ser vacinadas contra a brucelose, caso ainda não tenham sido imunizadas.

Ainda de acordo com o comunicado, os acertos das vacinas
podem ser feitos diretamente na sala do IMA, que funciona na Prefeitura, no Prédio
dos Três Poderes, com os servidores Lúcia ou Emanuel, ou ainda nas casas agropecuárias e na internet, através do site www.ima.mg.gov.br. Mais informações pelo
telefone (32) 3359-3010, diretamente no setor em Barroso.

Sobre a Febre Aftosa
A Febre Aftosa é uma doença infecciosa aguda que causa febre, seguida pelo aparecimento de aftas (vesículas), principalmente na boca e nos pés dos animais de cascos fendidos: bovinos (bois, vacas), bubalinos (búfalos), caprinos (cabras, cabritos e bodes) ovinos (ovelhas) e suínos (porcos).

Nos bovinos, os sinais são de febre, inquietação, salivação, babeira, dificuldade de mastigar e engolir alimentos, tremores, queda na produção de leite, dor nas tetas ao ordenhar ou amamentar, manqueira e ferimentos nos pés. O animal não ingere alimentos e água, fica isolado, estala os lábios com movimentos estranhos da mandíbula e saliva muito ao redor dos lábios. O emagrecimento é evidente devido à febre e à dificuldade de alimentar, beber e locomover.

O vírus está presente em grande quantidade no fluído das aftas e também na saliva, no leite e nas fezes dos animais afetados. A contaminação de objetos por qualquer uma dessas fontes torna-se perigosa para transmissão da doença de um rebanho para outro. No pico da doença o vírus está presente no sangue. A transmissão via aérea pode ocorrer e sob condições climáticas favoráveis, a doença pode se espalhar por consideráveis distâncias. Os animais contraem o vírus por contato direto com outros animais infectados ou por contato com alimentos, objetos e outros contaminados.

A doença é transmitida pela movimentação de animais, pessoas, veículos e outros que tenham sido contaminados pelo vírus. Caminhões, carretas, recintos de leilões, feiras, currais de embarque nos quais tenham circulado animais infectados são perigosas fontes de contaminação, caso não sejam corretamente desinfetados. Estradas podem ser contaminadas e o vírus pode ser carregado nos pneus de veículos. Os calçados, roupas, mãos das pessoas que lidaram com animais doentes podem transmitir o vírus.
 

Leave a Reply