Em Barbacena, golpe semelhante a um ocorrido em Barroso é aplicado

Uma atendente de farmácia em Barbacena realizou aproximadamente 87 recargas de celular a pedido de um suposto policial. O golpe, noticiado pela repórter Flávia Castro, do portal RR10, é semelhante a um que vinha sendo aplicado em Barroso há alguns meses, quando os criminosos também se beneficiavam em nome da Polícia Militar.
 
Em Barbacena, o golpe aconteceu na madrugada desta terça-feira (08), quando um taxista atendeu a uma solicitação de um suposto policial, que declarava ser um tenente, com sotaque paulista, pedindo que ele fosse até uma drogaria para comprar um medicamento, solicitando ainda o número do celular do taxista, para que conversassem quando ele chegasse ao estabelecimento.
 
Já no local, o taxista recebeu uma ligação do suposto tenente, pelo número (65) 8429-4476, pedindo que ele realizasse uma recarga de celular de R$ 50, além de comprar o medicamento. O autor conversou também com uma atendente da drogaria, que efetuou várias recargas de celular, com autorização da subgerente, para diversos números que ele alegou ser dos aparelhos de GPS das viaturas do batalhão. Depois de realizar as recargas, as vítimas desconfiaram da ligação e decidiram acionar a Polícia.
 
Na referida drogaria, os militares acionados entraram em contato com as operadoras de telefonia para tentar cancelar as recargas, porém não houve resposta. Segundo a subgerente do estabelecimento, foram realizadas aproximadamente 87 recargas, num total de R$ 48.800 (quarenta e oito mil e oitocentos reais).
 
Golpe semelhante em Barroso

Em Barroso, no mês de março deste ano, a Polícia Militar fez um alerta, por meio da Associação Comercial da cidade, aos comerciantes e toda a população sobre um golpe telefônico que vinha sendo aplicado em toda a região. Os bandidos ligavam para a empresa, solicitando a colocação de créditos em telefone celular e realizando, também, um pedido de compra (um botijão de gás, um medicamento, um lanche ou produtos de limpeza etc.).
 
O golpe era aplicado com os bandidos dizendo se tratarem de policiais militares, pedindo que o entregador da empresa levasse até o quartel da PM o pedido feito por telefone, além do troco, para teoricamente receber o pagamento pelo pedido e pelos créditos de celular. Ao realizar a entrega, a surpresa. Como não havia sido feito pedido pelos militares, o entregador levava de volta para a empresa o produto solicitado e o troco, mas não havia como recuperar os créditos de celular, que eram colocados no número fornecido pelos bandidos.
 
Diante dos fatos, os militares informam que não fazem esse tipo de solicitação e alertam aos comerciantes para ficarem atentos a esta modalidade de golpe e, em caso de suspeita ou de identificação do número de origem, solicitam que a pessoa entre em contato imediato com a PM, através do 190.

Leave a Reply