Palavra do Governador. “Teremos a oportunidade de iniciar uma época nova do nosso turismo religioso”, afirma Anastasia

Programa Palavra do Governador desta semana destaca Caminho Religioso da Estrada Real e investimento do Estado em infraestrutura turística

A paisagem de Minas Gerais será tomada por 1.700 totens de sinalização. Tratam-se de painéis que ajudarão os turistas com informações sobre o Caminho Religioso da Estrada Real, indicando não apenas os caminhos, mas também a infraestrutura existente no trajeto, como hotéis, pousadas e restaurantes. A colocação da sinalização encerra um grande trabalho de infraestrutura que o Governo de Minas planejou para a construção do caminho religioso. O caminho vai ligar o santuário da padroeira de Minas, Nossa Senhora da Piedade, em Caeté, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, até o santuário da padroeira do Brasil, Nossa Senhora da Aparecida, em Aparecida, São Paulo. O caminho, que vai passar por 86 cidades mineiras, é o principal tema do Palavra do Governador desta semana, que aborda também os investimentos feitos pelo Governo de Minas em infraestrutura turística.
“Nós resolvemos, além da Estrada Real, que liga as antigas cidades do ouro de Minas aos portos do Rio e de Paraty, lançar a ideia de um caminho vinculado às questões religiosas. Sabemos que existem milhões de pessoas no Brasil e no mundo interessadas em conhecer não só os mistérios, mas também em ter um aprimoramento espiritual e pessoal. Este caminho percorre 86 municípios e passa por uma região muito bonita do ponto de vista ecológico, por locais que possuem uma gastronomia excepcional e que reúnem exemplares magníficos da arquitetura barroca e da tradição histórica e religiosa de nosso Estado”, explica o governador Antonio Anastasia, destacando que o trabalho do Estado busca garantir mais conforto aos turistas que queiram seguir o caminho entre Minas e São Paulo.
O trajeto está sendo demarcado para que o viajante seja capaz de se orientar através da sinalização distribuída ao longo do percurso e através de guias ilustrados com mapas. A ideia é que o turista receba um passaporte que será carimbado em pontos pré-estabelecidos. Ao final do percurso, um Certificado de Conclusão do Caminho Religioso será emitido para aqueles que tiverem todos os carimbos.
Levando em consideração a tradicional celebração de Semana Santa em Minas Gerais, o governador Antonio Anastasia aproveitou para convidar os brasileiros a visitar o Estado durante o feriado e conhecer um pouco mais sobre o Caminho Religioso e a cultura mineira. “Gostaria de fazer um convite a todos para aproveitarem a Semana Santa para conhecer o nosso belíssimo Caminho Religioso da Estrada Real. Que venham e conheçam nossas Igrejas, que vejam as grandes manifestações religiosas desse período e, é claro, que experimentem a nossa culinária, tão aplaudida internacionalmente”, disse.
Com 1.033 quilômetros, o Caminho Religioso da Estrada Real foi formulado a partir de um levantamento sobre a intensidade do turismo religioso no país e os atrativos de Minas Gerais. A intenção é que o caminho possa alavancar ainda mais o turismo mineiro, gerando emprego e renda aos moradores das cidades que compõem o trajeto e, também, de municípios localizados na área de influência.
“Tudo isso foi feito em comum acordo com o chamado trade turístico, os agentes operadores do turismo no Estado, através de circuitos turísticos bem identificados e bem construídos. É uma parceria que se faz também com o setor privado e que reverte favoravelmente a nosso Estado. Estamos recebendo turistas e teremos agora, talvez, a oportunidade de ouro, que é a realização da Copa do Mundo. Poderemos mostrar, e mostrar bem, Minas Gerais a todo o mundo”, acredita Anastasia.
O governador destaca ainda ações do Governo do Estado que proporcionam mais conforto e infraestrutura para os turistas que visitam ou viajam por Minas Geraus. Ele cita programas como o  ProAcesso, que liga todos os municípios mineiros, e o ProAero, que viabilizou a construção de  vários aeroportos pelo interior de Minas, além de recursos para a recuperação das estâncias hidrominerais no Sul de Minas. “Conseguimos também, através de parcerias com o setor privado, a recuperação de muitos imóveis destinados a atividades culturais e investimos muito na divulgação da gastronomia de nosso Estado, que hoje tem um patamar internacional de grande reconhecimento”, conclui Anastasia.

Leave a Reply